But if I seem to act unkind... It's only me, it's not my mind. That is confusing things.

domingo, 20 de julho de 2008

Maresia


O meu amor me deixou
Levou minha identidade
Não sei mais bem onde estou
Nem onde a realidade

Ah, se eu fosse marinheiro
Era eu quem tinha partido
Mas meu coração ligeiro
Não se teria partido

Ou se partisse colava
Com cola de maresia
Eu amava e desamava
Sem peso e com poesia

Ah, se eu fosse marinheiro
Seria doce meu lar
Não só o Rio de Janeiro
A imensidão e o mar

Leste oeste norte e sul
Onde um homem se situa
Quando o sol sobre o azul
Ou quando no mar a lua

Não buscaria conforto nem juntaria dinheiro
Um amor em cada porto
Ah, se eu fosse marinheiro...

Um comentário:

Bel disse...

Uau!
Fazendo poesia...

Não sei se entendo que o amor foi pro Rio mesmo ou se foi só objeto de rima...
Mas, minha linda, lembre que o mar é regido pelas marés... espere a maré baixar... subir... baixar de novo... enfim, a vida vai andar.

Saudade!!!
Beijo enorme!