But if I seem to act unkind... It's only me, it's not my mind. That is confusing things.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Cachinhos Dourados

Um post rapidinho pra abrir uma semana que vai ser bem carregada, e , provavelmente, vai passar rapidamente também.

Em um belo dia abri meu pen drive e tinha um arquivo de texto, até então desconhecido por mim, denominado "parafofi". Ao dar dois cliques rápidos, a surpresa:

AMOTU!

Mirela

Fiquei feliz.

domingo, 23 de novembro de 2008

Hoje é o último dia da primeira temporada de Pulsação.

"O espetáculo PULSAÇÃO busca tratar, dentro de parâmetros como o peso, fluxo, tempo e direção, o contexto do nascimento das relações que são, de pronto, permeadas pela cumplicidade. Seja a relação de amizade, profissionalismo, amor ou irmandade.

Pulsação é encontrar um ritmo específico para cada pessoa que passa por nossas vidas e fica. É encontrar, também, o ritmo daquelas que passam e se vão. É descobrir o que nos foi deixado, para então reconstruir."

Eu não sei explicar o efeito que o espetáculo causa. Em cada pessoa é diferente, e em cada dia que se assiste consegue ser diferente também. É uma das coisas mais importantes que já me aconteceu.

E na hora de Pulsação, quando tá escuro, e só tem pessoas que eu amo do meu lado, eu posso externar sentimentos que são como uma explosão dentro de mim.

É uma das coisas mais importantes que já me aconteceu.

sábado, 15 de novembro de 2008

Um Bico de Beiço

Que coisa linda. Que coisa louca...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Pulsação

Choro por um misto de ansiedade e muita emoção. Choro, e é agoniante... Mas é feliz também. Choro porque não creio, ainda que veja que é desse jeito que é, todos os dias.

Choro porque mesmo assim, pulsa dentro de mim.

"Pulsação é encontrar um ritmo específico para cada pessoa que passa por nossas vidas e fica. É encontrar, também, o ritmo daquelas que passam e se vão. É descobrir o que nos foi deixado, para então reconstruir."

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Menina bonita bordada de flor.


Estou desenvolvendo um trabalho muito importante, em parceria com um novo e grande amigo, Gui. As nossas amigas lindas Lara e Thayná nos ajudaram muito também. Está dando certo, ficando lindo e superando as expectativas dos envolvidos. Me sinto realizada, e só tende a crescer esse sentimento. Eu sei.

Hoje terminaram as minhas férias. Eu estou com medo do segundo período de Arquitetura, dizem que é um dos piores. Mas todos também me dizem que todos os períodos são os piores. E além disso, o curso traz uma carga de felicidade tremenda, porque estão nele comigo pessoas especiais e queridas demais, que me fazem sorrir muito.

Escutando aqui o novo cd de Marcelo Camelo. Baixei e veio com algumas faixas faltando. Depois terminarei de baixar. As que consegui pegar são lindas e calmas, e me dão uma tranquilidade gostosa... Pra completar o sentimento de felicidade que tá aqui dentro.

A vida dá muitas voltas. Eu só quero que todo mundo fique bem e feliz. Se possível... Todos ao meu lado.

"Onde você for vida me leva,
e todo sentimento me carrega."

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Samba A Dois

Um monte de fios de cabelos, um escorregozinho, um abraço apertado, uma batidinha de leve, suavidade... Desastrado e doce, minha cara. Um sorriso bobo, na minha cara.

domingo, 28 de setembro de 2008

Pequenos Milagres

Ontem eu assisti uma peça incrível: Pequenos Milagres, da companhia mineira de teatro Grupo Galpão. Linda, com ótimos textos e atores muito bons. As soluções de cenários eram impressionantes, tudo bem simples mas ao mesmo tempo de uma elaboração sem igual. E os efeitos sonoros?! Muito bem feitos também. Na cena dos soldados (da história que mais gostei), o clima de guerra ficou mesmo no ar. A trilha tinha músicas encantadoras. Enfim... É sempre prazeroso sair satisfeita do teatro.


Amanhã eu apresentarei minha monografia de Design de Interiores, que foi feita em parceria com Júlio Gonçalves. Um cara que não tem noção do quanto que fez por mim. Talvez ele tenha, mas o significado emocional disso não cabe em um gibi (expressão de tiazona, mas é bem assim mesmo). Agora é só esperar tudo dar certo! E vai dar.

Agora é só esperar tudo dar certo! E vai dar. ;)

domingo, 14 de setembro de 2008

Let the sunshine... let the sunshine in!!

The sunshine in!

Porque quando eu me sinto feliz eu não consigo escrever direitinho, aí eu preciso de uma música, de uma imagem, de uma cor amarela, bem forte e radiante. Porque o post passado foi um equívoco, e este é mais certo. Todo mundo disse que tudo ia ficar bem, tudo vai ficar, tudo tá ficando bem.

Sabe aquela parte, daquela música... "But I'm just a soul whose intentions are good. Oh Lord, please don't let me be misunderstood."?! Então... É bem por aí!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Pressão.

A gente paga pelos nossos erros, pelas escolhas erradas, por não ser perseverante. Eu pago por ser assim, relaxada. Pra quê fazer hoje se posso fazer amanhã?! Pra quê começar agora se tem tanto tempo ainda pela frente?! Eu queria aprender a lutar. A ser mais forte do que a irresponsabilidade. A parar de crer que tudo vai dar certo, porque nem tudo vai dar certo se eu não fizer por onde para que dê certo.

Cavei um buraco muito tortuoso por quatro anos, que não tô conseguindo tapar. Me perdi no tempo, perdi a mim no tempo, fiquei por lá perdida e tô me achando agora. Será que ainda dá tempo de recuperar tudo?! Será que recomeçar pode ser considerado realmente recomeçar... Do zero, faz sentido? Do zero, vale a pena?!

Isso aqui é sobre Design de Interiores. Porque talvez eu não conclua o curso. Porque eu não entendo nada direito...

domingo, 31 de agosto de 2008

Janta

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade

Eu quis te convencer mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade

Paper clips and crayons in my bed
Everybody thinks that I’m sad
I will take my ride in melodies and bees and birds
Will hear my words
Will be both us and you and them together
I can forget about myself trying to be everybody else
I feel allright that we can go away
And please my day
I'd let you stay with me if you surrender

domingo, 20 de julho de 2008

Imagine me and you... I do...


Salvei essa antes que ele excluísse do Orkut... Essa foto é de 2005, o ano mais feliz que tive até aqui. Como sinto saudades e como me fazia bem. Com ele eu aprendi que a pessoa pode ser amada de uma maneira muito sincera e linda. Com ele eu tive os melhores momentos. Gostaria que ele conseguisse lembrar de tudo também... Nossa amizade está abalada, por causa do "conflito de interesses", como me disse Lulu. Se um dia algo no universo sorrir de novo pra nós dois, serei a pessoa mais feliz do mundo. Eu não tenho vergonha de admitir que eu amo, mesmo sem ser correspondida, não tenho... Porque o que eu sinto é puro e verdadeiro, eu sei. Mas só o tempo vai me mostrar o que é certo pra mim. Daqui pra lá, eu quero me descobrir, e descobrir felicidade e sorrisos das mais variadas formas. Eu preciso ser feliz...


Maresia


O meu amor me deixou
Levou minha identidade
Não sei mais bem onde estou
Nem onde a realidade

Ah, se eu fosse marinheiro
Era eu quem tinha partido
Mas meu coração ligeiro
Não se teria partido

Ou se partisse colava
Com cola de maresia
Eu amava e desamava
Sem peso e com poesia

Ah, se eu fosse marinheiro
Seria doce meu lar
Não só o Rio de Janeiro
A imensidão e o mar

Leste oeste norte e sul
Onde um homem se situa
Quando o sol sobre o azul
Ou quando no mar a lua

Não buscaria conforto nem juntaria dinheiro
Um amor em cada porto
Ah, se eu fosse marinheiro...

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Ontem eu dancei.


Foi o Festival de Encerramento do Primeiro Semestre de 2008 da Fazendo Arte, a escola de dança de Rosa Cagliani. Ela que foi dançar em outros palcos há quase dois meses, e deixou tanta gente com saudades...

Ontem foi o primeiro festival da escola que não foi organizado por Rosa. Mas que foi feito por pessoas que a amavam muito, e queriam que ela se orgulhasse. E eu tenho certeza que se orgulhou muito.

Rosa realizou meu sonho de dançar ballet, e eu vou agradecê-la pra sempre. Não sou profissional, danço pouco... Mas é um presente lindo que ela me deu, junto com sapatilhas e um collant preto que eu adoro. De mãe do meu namorado (até então), ela se tornou uma amizade intensa, querida, e eu penso nela todos os dias. É uma presença que falta, uma lacuna... E dói muito.

Todo mundo tá tentando ser feliz, do jeito que ela gostaria que fossemos mesmo. E eu tô tentando também, eu juro... Mas é difícil. É muita dor e sentimentos misturados, é uma falta que é uma fenda profunda. São duas faltas... E não dá pra entender nada, só dá vontade de chorar.

Foi o que eu fiz... Ontem depois de uma noite linda, de espetáculo, sorrisos e aplausos de presente pra Rosa, eu chorei. Por motivos óbvios, por motivos não tão óbvios. Por uma dor que parece que ninguém entende, que parece errada, mas que dói como se fosse certa. Eu não sei...

Eu só sei que a morte é um mistério, e que as coisas ganham outras dimensões depois que você tem que enfrentá-la. Eu queria saber enfrentar de um jeito mais fácil, mas eu sou um pouco fraca.

Pra Rosa, eu dancei. E pra ela eu peço muitas desculpas por não conseguir parar de ficar triste. É muita saudade e amor. É confuso demais. Você sempre brincava dizendo que queria se casar comigo, se Caio e eu terminássemos um dia. Pois sim, eu quero casar com você, minha querida.

Por não saber como agir com tudo que tem acontecido... Desculpa, Rosa.

domingo, 8 de junho de 2008

Recebi uma visita que me fez pensar.


Ela disse em seu blog que olha em volta e vê pessoas contidas... que se apegam a coisas, a rotinas, a pessoas, demasiadamente... sem coragem de jogar fora as tralhas que não constroem mais. Essas pessoas não têm o brilho dos olhos de quem vive... apenas carregam o fardo de existir.

Parece até que ela olhou em volta e me viu. Obrigada por me ajudar a entender, Gabriela.


quarta-feira, 21 de maio de 2008

Saudade não tem fim.

Eu não quero mais voltar no tempo, não tem pra quê.
Eu quero que as coisas fiquem bem. E agora tô apredendo a esperar por isso. Com muita saudade e com muito carinho.
Transbordando amor.

sábado, 10 de maio de 2008

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Help me get my feet back on the ground...

Minha vida virou de cabeça pra baixo... Não consigo entender nada. Me sinto triste, perdida e sem rumo. Por que tudo tem que acontecer ao mesmo tempo? Por que todas as dores precisam ser tão fortes assim? Preciso me agarrar a alguma coisa... Acreditar que tudo vai ficar bem. Quero ser plenamente feliz de novo. Será que um dia consigo? Me sentir querida, amada, sentir que tenho uma família... Também quero amar sem medo de perder... Mas agora só tenho lágrimas e tristeza. Só solidão e saudade... De tempos, de pessoas, e de sensações boas.

sábado, 12 de abril de 2008

Ontem fui ao teatro para assistir o espetáculo Muito Barulho por Quase Nada, do grupo Clowns de Shakespeare. De acordo com o site deles: Os Clowns de Shakespeare são um grupo de pesquisa teatral da cidade de Natal, Rio Grande do Norte que vem investigando, desde 1993, como linha principal do seu trabalho, a comicidade na obra do dramaturgo William Shakespeare.

Já é a segunda vez que tenho a grande oportunidade de assistí-los apresentando essa peça. Já é a segunda vez que saio agraciada do teatro, satisfeita por ter assistido uma grande apresentação, com grandes talentos.

Eles estão aqui em João Pessoa participando da I Mostra de Teatro de Grupo da UFPB. A platéia ontem foi composta, em grande, parte pelos estudantes do curso de Teatro, da UFPB. No fim do espetáculo, os Clowns receberam merecidíssimos aplausos. Todos de pé pra parabenizar uma apresentação incrível. Com certeza todo mundo deve estar ansioso porque hoje tem mais. E o melhor, peça inédita (pelo menos pra mim): O Casamento.

Deixo aqui a minha dica, se ouvirem falar em Clowns de Shakespeare, podem correr pro teatro que é garantia de qualidade, beleza, boa música, humor, diversão, e tudo mais que uma ótima peça teatral pode te oferecer.

quarta-feira, 26 de março de 2008

E eu me perguntava qual a diferença entre o titular do cartão ligar para desbloquear o cartão adicional ou qualquer outra pessoa fazê-lo com alguns dos seus números de documentos em mãos.

Descobri da pior forma possível, após ficar trinta minutos sentada no chão com um telefone na orelha, passeando por todos os menus da operadora dos cartões em questão, e falar com uns cinco atendentes diferentes.

É bem simples: Porque o titular sabe completo o nome dos pais dele.


terça-feira, 25 de março de 2008

If you want it anytime I can give it,
but you'd better hurry 'cos it may not last.

segunda-feira, 17 de março de 2008

Roll Up For The Mystery Tour

Este Blog não está abandonado, eu juro! O problema é que eu ainda não despertei pra blogar... Embora cada comentário meu em cada Blog que visito pareça muito com um post, quando chego aqui não sei bem o que dizer.

Mas isso vai mudar, porque vontade não falta, e aos poucos vou aprendendo como fazer a coisa bem direitinho. Isso é na verdade algo que eu quero pra mim, intensamente: Mudar. Não que eu seja totalmente insatisfeita com a minha pessoa, mas é que chegou a hora de me conhecer melhor, e aprender com as coisas que observo. E assim terei coisas boas pra oferecer pras pessoas, até em um Blog!


sábado, 1 de março de 2008

Under The Sea

O novo espetáculo da Broadway The Little Mermaid (A Pequena Sereia) é a adaptação do clássico Disney com toda qualidade e super-produção dos musicais da Broadway!

Os vídeos são incríveis, tudo parece grandioso e lindo.
Os artistas envolvidos se transformam totalmente, é como ver os personagens do desenho na vida real. Sierra Bogges, a atriz que dá vida a Ariel, é muito fofa, tem uma voz linda e faz a sereia mais querida da minha vida com perfeição. O ator que faz o Sebastian, Tituss Burgess, é outro espetáculo a parte. Que voz! Ele é incrível, e a cena de Under The Sea (minha música preferida no desenho) é das coisas mais convidativas a se assistir que pode existir.

Ver algo desse tipo trás de volta um sentimento de criança, de querer estar ali naquele mundo. Quando pequena após assistir algo assim, eu queria que minha realidade fosse aquela. Vivia mudando de personagem, mas eu sempre desejava ser uma delas. Ariel, Bela, Dorothy, Wendy. É, eu até já quis mudar meu nome pra Dorothy, mas me disseram que eu só poderia fazer isso depois que completasse 18 anos! Agora me resta sonhar poder ir à New York um dia, assistir esse espetáculo tão lindo e emocionante. Enquanto isso, me contento com os vídeos que já estão no Youtube, né?!

What do they got? A lot of sand. We got a hot crustacean band!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Visitas inesperadas por aqui...

Achei fofo ver gente aparecendo aqui de surpresa, então resolvi postar pra tirar a poeira do negócio né. Na verdade, eu sinto vontade de postar todos os dias, só que nem sempre tenho algo interessante ou legal à dizer, e simplesmente não posto. Tenho que deixar de ser tão exigente comigo mesma, não é?

Hoje eu também não estou cheia de informações não. Eu poderia escrever sobre filmes, mas não sou muito boa em redigir críticas. Vou fazer assim, gostei e indiquei, mais fácil. Vai da conta de cada um acreditar no meu gosto ou não.

Ontem eu assisti Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e gostei muito. O filme é muito caprichado, as músicas são lindíssimas, as atuações estão ótimas, figurino e maquiagem perfeitos. Tim Burton fez um grande trabalho mesmo. Já digo de antemão que quem não gosta de musicais, não deve ir ver. Porque vai acabar saindo no meio do filme, como algumas pessoas fizeram na sessão. Sim, musicais são pra quem gosta de musicais. Ok?!

Enquanto não tenho a trilha sonora do filme pra ouvir e decorar e nunca mais esquecer (como fiz com Chicago), vou me divertindo com a de Juno que é recheada de canções maravilhosas, descontraídas e lindas. Fiquei com vontade de destacar uma delas mas simplesmente não consigo, todas acertam na mosca... Um filme apaixonante com músicas perfeitas, não tem como eu não gostar.

Pronto, em breve tento postar mais. Agora já consegui me atrasar um pouco pro estágio... Tenho que correr!

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Irnãozinho, Bonecas e Bolinhas


Alguém lembra da Anninha?

Pois é, o tempo passou, Anninha cresceu (um pouquinho) e se mudou, mas sempre vem visitar sua avó que continua sendo minha vizinha de porta. Agora ela tem um irmãozinho - Ricardinho! Ele acabou de nascer. É a coisinha mais linda, pequenina e com sono que existe.

Então perguntei pra ela se estava gostando de ter um irmãozinho. Sua resposta:

- An-ham, não trocaria nem por duas nem por sete bonecas!!!

E como se não tivesse sido fofa o bastante... Por nunca visto um menininho pelado antes, ela ficou surpresa, foi perguntar pro pai (E não pra mãe!!) pra que serviam aquelas bolinhas.

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Carnaval
Vai passar nessa avenida um samba popular...
E ninguém quer perder, né?!



Nem eles!

sábado, 26 de janeiro de 2008

Só pra dizer que o último post é passado. Apesar disso ser óbvio, né?! Mas eu tô bem, e está tudo certinho. E como agora eu tenho Internet em casa, espero voltar a ativa até aqui no Blog.

Por enquanto é só. E feliz 2008 (acho que ainda é tempo de votos)!!